Gênio…


…no gelo!

Storm (Sheffield, jan/2012)

Tango Roxanne (Sheffield, jan/2012)

Isso é o que ele faz, todo estropiado, aos 29 anos (“velho demais para o esporte”). Ganhou pela SÉTIMA vez o campeonato europeu, ó, que surpresa! Acho mesmo que ele tem grandes e bem reais chances de pódio nas Olimpíadas de Sochi em 2014. Essa é a diferença entre quem tem tesão pelo que faz, e quem faz porque não teve outra opção :(, ou tendo em vista apenas grana e/ou fama…esse cara passou fome e frio, conquistou um trilhão de títulos, ganhou rios de dinheiro não só com o esporte, mas também com propagandas, desfiles, participações em programas de TV e tudo o mais…poderia ter se aposentado aos 18 anos de idade *rs* ALIÁS, ele chegou a se aposentar aos 20 e poucos…viajou, tomou todos os vinhos e comeu tudo o que quis, engordou 15 quilos mas não aguentou ficar longe do gelo! ahahahhahahaha Teve que se submeter a uma dieta rigorosíssima, e treinamento basicamente militar…rotina de acordar cedo, treinar horas e horas seguidas, sofrer mais algumas fraturas, cirurgias, torções e afins…nenhum patinador na história fez isso – se aposentar e voltar depois de 2/3 anos…Quem é foderoso é foderoso 🙂 68 medalhas até aqui, mas quero vê-lo ganhar mais algumas…ele merece!

Je suis malade (exibição de gala)

A entrevista está em russo, mas caso queiram ver um trecho da cerimônia dos medalhistas…

É fria: “minifestação” com Lego esquenta o sangue da polícia russa


Frios e calculistas, indignados deram um jeito de mostrar seu descontentamento com a hora da Rússia. Aparentemente, as coisas andam calmas até demais na cidade de Barnaul, na Sibéria Rússia. Talvez por isso a polícia de lá resolveu se dedicar a assuntos realmente importantes, como descobrir quem diabos inventou um protesto contra o governo usando bonequinhos, e como fazer pra botar no xadrez esse povo criativo. Mas talvez esse seja o menor dos problemas para as autoridades agora. O que rola é que a manifestação pode até ser de brinquedo, mas as exigências não são. “Queremos eleições limpas” e “ladrões têm de ficar na cadeia, e não no Kremlin sede do governo russo” são algumas das frases de ordem escritas nos minúsculos cartazes levados pelos “indignados” – bonecos de Lego, ursinhos de pelúcia e personagens do desenho animado “South Park”. Tudo culpa das autoridades, que anteriormente proibiram outros atos públicos contra o governo. Com a manifestação minifestação?, os críticos do regime questionam a lisura das eleições no país. Para os opositores, o resultado das eleições parlamentares de dezembro e a iminente recondução de Vladimir Putin à presidência do país são fruto de armação.

via É fria: “minifestação” com Lego esquenta o sangue da polícia russa – Notícias – UOL Notícias.

Pôsteres soviéticos


Tudo sabemos fazer por nós mesmos. Ajudamos a nossa mãe!

O conhecimento romperá as correntes da escravidão

Ajuda aos famintos à americana

Se você não ler os livros esquecerá as letras

Nós exigimos paz!

(isso veio daqui)

Get up, stand up, stand up for your right…refuse!!! resist!!!! occupy!!!!!


READ THIS BEFORE YOU GO TO D.C. and watch the videos below, too…it’s always good to know what’s going on, even if it’s bad news 😉

http://www.youtube.com/watch?v=WimHoBQBMM8

#J17 Event Details

Schedule

9am – Converge at West Front Lawn at Capitol Hill
(Meetings with Representatives concurrent)
10 am – Training for volunteers on De-escalation,
Legal Observing, Medical, Direct Action
11 am – Teach-ins and Open Mic start and go all day
12 noon – Multi-Occupation General Assembly
2 pm – Open Activities and Idea Sharing Sessions
*6pm* – Occupy Congress Rally and Protest and DC Voting Rights Vigil
8pm – 11pm – OCCUParty


Want to give a Speech, Teach-in or an Idea Sharing Session?

To give a speech, teach-in or idea sharing session, please sign up for a time slot on the wiki and leave your contact info

http://wiki.occupyyourcongress.info/index.php?title=Sign_Up_Page_for_Speakers_and_Teach-ins

Want to give a musical performance or poetry reading at the Open Mic Stage?

To give a musical performance, poetry reading or other artistic expression, please sign up for a time slot on the wiki and leave your contact infohttp://wiki.occupyyourcongress.info/index.php?title=Sign_Up_Page_for_Entertainment_Open_Mic

As of the conference call on 1/12/12, consensus was made to move all non artistic performances (speeches, speakers, prose, politicians, etc) to an non amplified forum.

All speeches and teach-in discussions are a reflection of the speaker alone and to be considered autonomous


Location

United States Capitol Building, Washington, DC 20016

…and visit this website for further information 🙂

For livestream coverage of#OccupyCongress tomorrow, check out http:/www.j17live.org/ which has feeds of all the #J17 channels

Chaos A.D.
Tanks On The Streets
Confronting Police
Bleeding The Plebs
Raging Crowd
Burning Cars
Bloodshed Starts
Who’ll Be Alive?!

Chaos A.D.
Army In Siege
Total Alarm
I’m Sick Of This
Inside The State
War Is Created
No Man’s Land
What Is This Shit?!

Refuse! Resist!
Refuse!

Chaos A.D.
Disorder Unleashed
Starting To Burn
Starting To Lynch
Silence Means Death
Stand On Your Feet
Inner Fear
Your Worst Enemy

Refuse! Resist!

Get Up,

Stand Up,

stand up for your right

Get Up, Stand Up, don’t give up the fight

Preacher man don’t tell me heaven is under the earth

I know you don’t know what life is really worth

Is not all that glitters in gold and

Half the story has never been told

So now you see the light, aay

Stand up for your right.

Come on

Get Up,

Stand Up,

stand up for your right

Get Up, Stand Up,

don’t give up the fight

Most people think great God will come from the sky

Take away ev’rything, and make ev’rybody feel high

But if you know what life is worth

You would look for yours on earth

And now you see the light

You stand up for your right, yeah!

Get Up, Stand Up, stand up for your right

Get Up, Stand Up, don’t give up the fight

Get Up, Stand Up. Life is your right

So we can’t give up the fight

Stand up for your right,

Lord,

Lord Get Up,

Stand Up.

Keep on struggling on

Don’t give up the fight

We’re sick and tired of your ism and skism game

Die and go to heaven in Jesus’ name, Lord

We know when we understand

Almighty God is a living man

You can fool some people sometimes

But you can’t fool all the people all the time

So now we see the light

We gonna stand up for our right

So you’d better get up, stand up, stand up for your right

Get Up, Stand Up, don’t give up the fight

Get Up, Stand Up, stand up for your right

Get Up, Stand Up, don’t give up the fight.

Dilema russo: reprimir ou não os protestos


[Temos muuuuuuuito a aprender com o povo russo!]

As manifestações de dezembro contra Putin podem indicar mudança de posição do Kremlin num país onde historicamente as autoridades temem o povo e vice-versa

Por Ellen Barry, do International Herald Tribune*

Há três semanas em Moscou, quando a cidade se preparava para o primeiro de uma série de protestos contra o governo, alguns comentaristas mergulharam no poço da história russa, quando czares e multidões entravam em choque, criando uma imagem confusa de sabres, cargas de cavalaria e plebeus carregando ícones sobre as cabeças.

Nas histórias antigas, as multidões eram uma força elementar, brutal. Não surpreende o fato de os governantes russos desejarem sufocá-las. Elas são parte da memória coletiva do Kremlin e pairam sobre os protestos nos dias de hoje.

Aos 10 anos, Pedro, o Grande, recém declarado czar, se encolhia de pavor, com sua mãe, enquanto guardas rebelados empalavam seus parentes em lanças. O czar Alexis apareceu para atender pessoas que vinham fazer seus pedidos e se viu tragado pela turba, preso pelos botões do seu traje real.

A história mais instrutiva é provavelmente a do czar Nicolau II, cujas tropas atiraram contra 8 mil trabalhadores que foram ao Palácio de Inverno em 1905 para reivindicar melhores condições de trabalho. O ataque escandalizou tanto os círculos à sua volta que ele implementou as reformas exigidas pelos manifestantes, como a criação de um Parlamento.

Quando novos protestos eclodiram 12 anos mais tarde, Nicolau adotou uma postura diferente, permitindo que mulheres e crianças se manifestassem pacificamente durante um período de escassez de pão preto. Mas tais protestos se propagaram como um incêndio florestal, abrangendo grevistas e soldados que se recusavam a atirar contra a multidão. Uma semana depois de ter autorizado pela primeira vez uma manifestação, Nicolau teve de abdicar.

Os premiês e secretários-gerais soviéticos que vieram depois de Nicolau levaram a sério a experiência do czar: a melhor maneira de lidar com manifestações em massa, concluíram, era impedi-las a todo custo. Vladimir Putin, que assumiu o poder nos anos posteriores às manifestações da época da perestroika, adotou um enfoque similar, de “cortar o mal pela raiz”. Na maior parte das vezes, evitou o uso da violência.

Richard E. Pipes, estudioso de história russa em Harvard, diz que Putin aprendeu muito bem a sua história. Quando as manifestações começarem na Rússia, disse ele, cedo ou tarde elas não terão mais controle. “Se eu estivesse no comando, minha primeira medida seria reformular o governo”, disse Piples. “Se não quisesse fazer isso, simplesmente proibiria as manifestações e prenderia todos os que descumprissem a ordem”.

Ecos dessa teoria podem ser sentidos desde as eleições parlamentares de 4 de dezembro, quando ficou patente que os jovens russos estavam prontos para protestar em número jamais visto desde que Putin subiu ao poder em 2000. Diante da manifestação na praça Bolotnaya em 10 de dezembro, as autoridades reeditaram a frase de Alexander Pushkin: “Deus, por favor, não nos deixai ver esta clássica rebelião russa – inútil e impiedosa”.

O romancista Sergei Minaev, partidário do Kremlin, preveniu os manifestantes de que, se eles morressem ali, mesmo seus amigos mais íntimos esqueceriam a causa pela qual sacrificaram suas vidas. “Se eu acreditasse em Deus”, escreveu o político liberal Leonid Gozman às vésperas da manifestação, “rezaria para ele infundir o bom senso nos generais e, mais importante, naqueles que lhes derem as ordens”.

O que ocorreu, naturalmente, foi algo fundamentalmente distinto. Para qualquer pessoa que viveu um tempo na Rússia de Putin, a visão do que ocorria na praça Bolotnaya no dia 10 de dezembro produziu um choque quase físico. Fazia tanto tempo desde que os russos foram em massa para as ruas exigindo mudanças políticas que a multidão agora – cerca de 50.000 pessoas, calmamente vigiadas pela polícia – parecia uma maravilha da natureza, como a aurora boreal.

As pessoas na multidão, em vez de ouvirem os oradores, se examinavam. Não estavam iradas nem se mostravam oprimidas. Não instilavam medo ou agressão. A massa crítica dos profissionais da classe média que durante anos existiu na internet repentinamente se tornou um fato físico, próximo o bastante para sentir o calor do corpo. Era como se um novo organismo estivesse nascendo. Nada assustador ocorreu nesse dia, tampouco na manifestação seguinte, em 24 de dezembro, quando a multidão era significativamente maior.

Yevgeny S. Gontmakher, economista que assessorou o governo em casos de distúrbios sociais, afirmou que os líderes russos não tinham uma fórmula para lidar com manifestantes cujas demandas não podiam ser atendidas com dinheiro. O que surgiu agora “é sinal de que a Rússia está se tornando um país ocidental, à sua própria maneira”. “Isso é a política”, disse ele. “Hoje o envolvimento na política de governo não é mais marginal. Acho que isso vem ocorrendo pela primeira vez na Rússia. E indica que o país tem que escolher o caminho europeu. As pessoas dizem que a Rússia não é Europa. Não – a Rússia é Europa”.

Talvez esses protestos mais recentes tenham indicado uma mudança na relação entre o Kremlin e a multidão. Depois de uma explosão inicial de hostilidade ácida, Putin e seus oficiais começaram a conversar com os manifestantes com um certo respeito, talvez porque tenha ficado flagrante que eles representam uma ampla faixa da elite empresarial e da mídia da capital. Na semana passada, Vladislav Y. Surkov, oficial do Kremlin cuja função durante 10 anos foi a de reprimir qualquer ação política da rua que pudesse ameaçar Putin, disse que os manifestantes da praça Bolotnaya representavam “a melhor parte da nossa sociedade, ou mais precisamente, a parte mais produtiva”. Surkov foi renomeado para um outro cargo não político dias depois de suas observações serem publicadas.

O ímpeto da história, entretanto, é forte no Kremlin, cujas fortificações de tijolo vermelho datam da Idade Média. Alguns afirmam que a estrutura básica da sociedade russa mudou pouco desde então. Vladimir Sorokin, que escreveu um romance sobrepondo o Kremlin de Putin ao de Ivan o Terrível, assim se manifestou: “Em regra geral, na Rússia, as autoridades temem o povo e o povo teme as autoridades”.

Essa tese foi colocada em dúvida pelos fatos ocorridos no mês passado. A multidão agora está fazendo uma pausa, respirando profundamente. Moscou entrará num novo ano menos previsível do que em qualquer outro na sua história recente. Mas está muito claro que os russos se encaminham velozmente na direção de alguma coisa tão antiga quanto o confronto, ou tão nova quanto o diálogo.

É JORNALISTA GANHADORA DO PULITZER

TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Estrela do rúgbi e musa do salto com vara lideram eleição de atletas mais sexy


Estrela do rúgbi e musa do salto com vara lideram eleição de atletas mais sexy | Blog UOL Esporte.

UI!

Bom, a mocinha de fato é bela, mas olha…a Yelena Isinbayeva (ou, para os íntimos, Елена Исинбаева) continua de longe, muuuito longe, sendo minha musa, e  essa Allison aí deveria se ajoelhar perante a deusa e beijar a vara dela, na boa 😉 hahahahhhaha (fotos da Yelena aí embaixo para deleite dos moços, e/ou das moças de gosto não-convencional)

Falando em vara – desculpem o trocadilho (not!!!!! :P), pôxa…como é permitido que vejamos a vara das moças, mas a do rapaz que é bom, nada?!? Sacanagem!!!!!!!! 😉

UFA! Ainda bem que a beldade do rúgbi está ganhando…porque…Cristiano Ronaldo, sério?!? ughghghhggh O Beckham eu até concordaria, mas ele já está, digamos assim, um pouco passado…;) Esse David Williams sem dúvida merece o posto de homem mais sexy do esporte…opa, peraí, deixa eu limpar minha baba! hahahhhhhahah

Ah, já até ia me esquecendo das fotos da Yelena, que gafe!