…e daí que fiquei mais velha (ou: passando graxa de carroça!)


(caramba, nunca imaginei que algum dia fosse escrever algo sequer remotamente parecido com isso…alguns anos atrás, diria que só seria possível numa dimensão paralela…eu, falando em cosméticos?!? Ah vá!!!! E ainda por cima fazendo propaganda de corporações farmacêuticas?!? kkkkkkkkkk)

Não fiquei vaidosa. Sim, descobri que até as mais resistentes a tralhas cosméticas eventualmente sucumbem a esse tipo de…tralha. Eu ia falar “tratamento”, mas acho que já basta sentir que você está envelhecendo…desnecessário, ainda por cima, utilizar palavras que fazem você se sentir velhinha *E* paciente (no sentido de “pessoa necessitada de cuidados médicos profissionais”, não no de pessoa calma :P).

Então. Sempre fui, e continuo (mas, percebi, menos, conforme a idade vai passando ;)) resistente a toda e qualquer artificialidade. Acho fútil e bobo, para não dizer outra coisa. Sem contar a preguiça. E sem contar o espírito Patinhas (sim, sou sovina, de certa forma – tá, de várias formas :P). Ridículo gastar dinheiro com coisas que não duram. Já basta gastar dinheiro com comida e bebida que, literalmente, é dinheiro que inevitavelmente acaba indo por água abaixo *rs* A diferença é que sem comida e bebida você morre. Sem cremes, maquiagens e afins, não 😉

Em consequência dessa minha atitude extremamente “don’t worry be happy” (não, eu não faço unha, não tiro sobrancelha, raramente me depilo – só rola depilação nas pernas quando vou à praia, ou quando resolvo usar saia ou vestido que não seja comprido, ou seja, raramente! -, e vou à cabelereira umas 3 vezes por ano), o povo invariavelmente me acha uma pessoa relaxada. Por “povo”, leia-se “a população feminina em quase toda a sua totalidade” (só as que são como eu discordam, mas somos poucas, infelizmente :P). O restante do povo (o público masculino, e diversas mulheres) simplesmente acha que sou muito mais nova do que de fato sou – afinal, justamente, na cabeça da maioria das pessoas, só adolescentezinha displicente não se penteia direito, se veste como eu e não se cuida (claro que estou falando das adolescentezinhas da MINHA geração, pois bem se vê que as atuais são majoritariamente mega produzidas…).

Inclusive há alguns anos tomei o maior pito da minha vida de uma dermatologista…vocês precisavam ver, ela parecia a minha mãe. Minha mãe, vírgula, porque a minha mãe de verdade também tem mais com o que se preocupar e nunca foi remotamente vaidosa (filha de peixe…)!!! *rs* Quando disse que ela parecia minha mãe, me referi ao tom de voz, olhar, argumentos e modo com o qual ela me deu um pito…é normal tomar pito de médicos (não sei vocês, mas eu já levei vários *rs*); entretanto, aquele ali foi especialmente memorável porque a dermatologista em questão abandonou todo e qualquer resquício de pose médica profissional e vestiu a camisa da mamma italiana *rs* Nem perguntei, mas certeza que ela deve ter uma filha da mesma idade – e atitude displicente idem 😛 – que eu. Certamente ali ela me falou tudo o que gostaria de falar – ou já cansou de falar! – para a própria filha, em vão: “É um absurdo uma menina como você ficar com a pele desse jeito, manchada e cheia de acne!!!! Onde já se viu!!! Você não tem mais 15 anos…passou dos 18, no mááximo 20, é OBRIGATÓRIO fazer aquele ritual (limpeza, hidratação, tonificação, protetor solar) diariamente, de manhã e à noite. Na minha época a gente não sabia um monte de coisa que se sabe hoje mas, mais do que isso, a gente não tinha recurso!!! Não pode, a geração de vocês não tem desculpa, têm tudo ao alcance das mãos, alta tecnologia, tudo para se proteger e se cuidar e envelhecer muuuuuitos anos mais tarde, ao contrário da gente!!!”  E, mais uma vez, saí do consultório com mil receitas (a maioria manipulada) e a promessa de que dessa vez passaria a me cuidar – ou pelo menos cuidar da minha pele. Blah. Sempre começava empolgada, mas passadas duas ou três semanas…puff! (mesma coisa com academia de ginástica, conhecem essa história?)

…Muitos anos, manchas e acne depois…passei dos 30. Pois é. Acho que para os homens a crise é nos 40, mas pelo que ando observando entre amigas, conhecidas, primas e tal, a coisa bate mesmo aos 30. Pelo visto, aos 40 elas já estão mais conformadas, e mais sábias (e casadas e com filhos e com oooutras preocupações bem mais complexas, em sua maioria). Eu que nunca dei bola para idade (já disse, o povo sempre me deu muitos anos menos do que tenho – e prova parcial disso é minha vida amorosa sofrível, da qual fazem parte olhares lascivos de vestibulandos…) me peguei preocupada. Sei lá…acreditem se quiser, o número USP (identificação que cada um recebe ao entrar na universidade – indica, portanto, quantas pessoas ingressaram antes de você, e também…depois de você) foi uma das principais razões para me sentir velha. Velha mesmo. Sei que 30 nem é (muito :P) velha, mas você vê a galerinha com a qual entrou no vestibular saindo de lá, e você permanece. Aí você vê toda uma galerinha nova entrando…e você lá. Aí você vê a galerinha nova se tornando veterana…e você continua lá. Aí a galerinha nova se forma e entra e sai do mestrado…e você lá! Nisso você já viu tanta gente entrando e saindo daquele lugar…uns por terem se formado, outros por terem desistido…de toda forma, lá está você, se sentindo jurássico como aquele dino do prédio da Geologia *rs* Aí um dia você cai na besteira de, por mera curiosidade, perguntar qual é o número USP do seu professor de italiano (que é, obviamente, mais novo que você). Ele fala e você quase cai para trás! (grazie, Flávio, sei gentile! Ma troppo giovane, cazzooooo!!!) Aí você pergunta qual então seria o número dos “bixos” daquele ano…viiiiixeeee!!!

Bom…foi a gota d’água. Mas aos 30 não tomei providências e sim agora, aos 31 (vai entender…acho que aos 30 estava deprimida demais para qualquer coisa). A algumas semanas do meu aniversário, tomei uma atitude radical e deprimente (por muitas moças considerada banal e, suponho, motivo de festa até): fiz peregrinações por perfumarias e magazines (dica: na Renner achei coisas mais baratas, viu!) para encontrar os poucos produtos específicos que, dentre os trilhões indicados por trilhões de dermatologistas (e que não eram de farmácia de manipulação), me lembrava remotamente de terem dado mais ou menos certo (não sabia ao certo porque nunca usou nenhum deles por tempo suficiente para saber direito 😛 E minha pele sempre foi uma peste, as coisas “milagrosas” nas outras pessoas nunca davam resultado em mim).

Agora aqui estou eu, “ritualizando” há quase dois meses – meu recorde pessoal *rs*!!!!!! O legal é que dessa vez estou empolgada pela razão certa: estou vendo resultados. Não que esteja me tornando uma beldade kkkkkkk!!!!! Mas pelo menos o aspecto da minha cara previamente detonada está ficando menos detonado…a mudança é sutil, mas já percebi. E se *EU*, que nunca percebi nada e sempre achei babaca coisas congêneres, percebi em um mês de ritual cosmético chato contínuo, certamente as outras pessoas vão perceber. Ainda mais depois que o mês se tornar ano, e década. Minha mamma, digo, ex-dermatologista :P, ficaria orgulhosa da filhona 😛 hahahahah Minha filosofia para começar a usar essas coisas foi: mesmo que os produtos não ajudem a melhorar, pelo menos devem ajudar a não piorar tanto e tão rápido!!!

Ah, se acaso as moçoilas ou moçoilos quiserem saber o que ando usando, bem…não farei segredo, pois não sou celebridade *rs* Também não queria fazer propaganda de ninguém, odeio marketing, ainda mais porque não estou recebendo nada de ninguém (droga! 😛 Se quiserem pagar, fiquem à vontade, viu?? ;)), mas acho que quando certas coisas funcionam, é legal falar sobre elas, encaro como uma espécie de prestação de serviço… assim, quem sabe se alguém (sobretudo minhas amigas) for ler isto aqui não perderá tempo e dinheiro comprando coisas inúteis. Estou falando, LÓGICO, da minha pele, que é oleosa. Não sei se daria certo para outros tipos de pele, mas imagino que sim.

  • Para lavar o rosto, experimentei dois produtos:
  1. o tal do Effaclar (a embalagem é azul e branca), da La Roche-Posay, que é um treco líquido que não é sabão (a embalagem diz “sem sabão”!), mas não me perguntem o que é exatamente…hahahahahah Diz que é gel purificador blablabla. Ele não arde o olho, bem legal! Odeio lavar o rosto por causa do ardor nos olhos…ugh. E ele tem um cheirinho estranho, interessante. Adorei, percebi que ele limpa bem. Só com o uso dele vi que meus cravos, se não diminuíram, pelo menos não aumentaram exponencialmente como vinha acontecendo desde a puberdade 😛 E as espinhas diminuíram CONSIDERAVELMENTE (a não ser, claro, na TPM…);
  2. quando acabou o Effaclar (ele é meio carinho, viu…), testei outro (em média 10 reais!) mais barato, lógico 😛 O Clean & Clear Advantage – Gel de limpeza, da Johnson & Johnson. Esse é super cheirosinho, uma delícia, só que, ao contrário do effaclar, é sabão sim e arde bem mais se você deixar entrar em contato com o olho, o que é, digamos, bem fácil de acontecer lavando o rosto 😉 Ele já está acabando, então já tratei de comprar outro Effaclar (estou pensando em alternar o uso dos dois);
  • Continuando o “ritual” (aaafff…lembro ter achado o fim da picada a dermato ter usado essa palavra, mas pior que é mesmo…), uso a tal Máscara em Gel Anticravos Rapid Clear da Neutrogena (também da Johnson & Johnson). Esse é super cheiroso também mas é um saco, no sentido de que você tem que se secar (você acabou de enxaguar para retirar o sabãozinho…), passar o treco, e ficar esperando até ele secar, ou 5 minutos, que seja. Bah. Odeio esperar. Aí, obviamente, tem que lavar a cara de novo, porque não pode ficar com aquilo no rosto. Eles falam pra passar 1 ou 2 vezes por semana, mas por conta própria tenho passado quase todos os dias – já que é pra fazer direito, vamos lá, oras! Eu disse, minha pele é uma peste, super oleosa (as únicas partes ressecadas do meu corpo são a ponta do cabelo, a planta do pé e as mãos – por causa da minha cachorra, só que essa é uma outra história). Esse aí também tem me dado bons resultados! Sempre fui muito cheia de cravos e espinhas, ultimamente andava aparecendo cravo e espinha não só no rosto, mas no pescoço, colo, entre os seios, nos ombros e na parte superior das costas, affff…(eu falei, bagaceira total, e com a idade só foi piorando…no verão, então…!!!!! Psshhh..)
  • Calma, ainda não acabou!! *risos* A parte chata, para mim, é essa daí, de ter que passar, enxaguar, passar, esperar, enxaguar. Aí as próximas etapas são bem agradáveis: passo o adstringente (na verdade o lance se chama lotion stabilisante, da linha Acnederm da Payot) com um algodão, espero secar (seca rapidinho); 
  • e, finalmente, como o dedo (sou meio econômica porque vem pouco produto e ele também é carinho!) espalho o gel secativo (também da linha Acnederm da Payot) – sim, passo preventivamente, porque passar depois das espinhas já instaladas é eficaz, mas indesejável…).
  • Aí, por último, vem a porcaria do protetor solar (odeio protetor solar…TODOS me dão espinha. ABSOLUTAMENTE todos, tanto faz se são não-comedogênicos, anti-acne, blablabla, em maior ou menos grau, instantaneamente ou no dia seguinte…). Achei um que dá muuuuito menos problemas…é o Minesol, da ROC, fator protetor 70 (SIM, 70!!! Cansei das manchas…tava aparecendo tanta mancha que tenho mancha até dentro do olho quase!!!! Isso porque nem tomo sol, hein! Deve ser por causa dos meus óculos de grau…) e que é antioxidante (ou seja, além de proteger do sol e hidratar, ainda cuida da velheira! ;)) Quando não acho esse, tem também o Ultra Sheer toque seco da Neutrogena (fator 30) OU o Ultra Light (também 30, também Neutrogena) que é bem legal – fora esses, os outros todos são insuportáveis, dão espinha, cravo e o escambau…na TPM, pior ainda!!!  
  • Ah, esqueci! *rs* Por causa da “velheira”, tomei uma outra atitude radical: pela primeira vez na vida, comprei um treco específico pros olhos. Meus olhos andavam feinhos demais, tadinhos…além das olheiras roxas (uma vez me perguntaram se eu tinha levado um soco…quase dei um no olho da pessoa em questão!!!), andam cansados (insônia, sacumé, preocupações…) e já tomados por aquela flacidez básica que se percebe quando você tenta passar maquiagem. Ainda não tenho os infames pés de galinha, mas é bom prevenir, acho eu!! Resumindo: como virei fã dos lances da Payot, aproveitei para comprar o tal Antifatigue contour des yeux (se você não é chique como eu e não fala afrancesadamente, é anti-cansaço – contorno dos olhos ;)). Segundo a propaganda na embalagem, é um “gel creme hidratante e nutritivo, específico para a área dos olhos. Promove um tratamento cosmético antifadiga, que melhora a tonicidade e elasticidade, proporcionando firmeza à pele. Atenua rugas, bolsas e olheiras. Contém em sua formulação: ácido hialurônico – substância natural, com alto poder de hidratação e formação de filme protetor. Vitamina E: reforça e revitaliza a pele. Hydroxyprolisilane CN: hidrata, anti-radicais livres, contribui para a reestruturação da elastina e colágeno. Cegaba: auxilia na redução de bolsas e olheiras. D-Pantenol: ação hidratante.” Eles recomendam que você use duas vezes por dia – pela manhã e à noite, mas começou a…adivinhem!…me dar espinha na lateral do olho, então diminuí, passo só à noite (droga!! agora pesquisando pra colocar a fotinho do treco aqui, acabei de descobrir um outro da Payot que serve tanto para o contorno dos olhos quanto dos lábios…e eu aqui, improvisadamente usando esse pros lábios também!!! Algum dia experimento esse outro – deve ser bem mais caro, e nem sei se tem aqui no Brasil)

OBS 1: na verdade, essa linha toda da Payot à qual me referi para tratar acne, a Acnederm, é excelente…já usei o sabonete líquido deles também, muito bom, é que eu pessoalmente preferi o Effaclar mesmo…e esse bastãozinho pequeno, o secativo, é quase miraculoso! Sabe quando, 2 dias antes, ou mesmo no dia anterior a um casamento, ou à sua formatura (sim, essas coisas SEMPRE me acontecem, maldito Murphy e sua lei!!!! >:), aparece aquele monstro gigante vermelho bem na ponta do seu nariz ou no meio da testa? Então…ele serve para nos socorrer nessas ocasiões 😛 Ele resseca MESMO. Passando-o duas vezes (ou mais, se quiser) por dia bem em cima da espinhona, em um dia ela já fica bem melhor, e em 2 ou 3 já sumiu completamente. Estou falando das GIGANTES! As normais somem rapidinho com ele, nem tem graça direito *rs*. O problema é que, justamente, como ele ressaca, fica aquela pelinha nojentinha ao redor da espinha, sabe? Nem maquiagem disfarça direito…o negócio é dar um jeito de arrancar o excesso de pele ressecada bem devagar com uma pinça ou com seu próprio dedo, se conseguir (mas sem machucar a área da espinha!!).

OBS 2: antes dessa palhaçada toda, quando eu não tinha paciência (ainda não tenho muita :P) e nem queria gastar, sabe o que usava? Água 😉 hahahahha Não, falando sério agora: se eu tivesse que escolher UM produto só dentre esses todos que mencionei, seria sem dúvida o Gel de soin (aí em cima chamei de gel secativo, mas se fosse traduzir ao pé da letra seria “gel de cuidados/tratamento”. Vem pouco produto (não se deixem enganar pela embalagem, 50 ml não é nada…acaba meio rápido mesmo se você for uma pessoa econômica como eu), mas o efeito na pele é absurdamente bom! Mas antes disso tudo, sabe a única coisa que eu passava, e que também é muito bom (melhor que muito adstringente chiquetoso por aí)? O bom e velho Leite de Colônia. Sim, aquele lá que tem em praticamente qualquer farmacinha ou mercado de esquina:

O único motivo pelo qual semi-parei (às vezes ainda uso) de usá-lo é minha suspeita de que ele contribua para as manchas no rosto…talvez seja pelo álcool…não sei. Não sei se ele mancha, pode ter sido coincidência, mas teve uma mancha que me apareceu bem no dia que resolvi usá-lo, então…quando uso, só de noite, imediatamente antes de ir pra cama. Nem computador uso depois de passar essas coisas na cara.

Ah, para quem estiver curioso sobre o título: é o que meu pai nos diz (= a mim e à minha mãe) quando passamos hidratante nas mãos, creme para pentear no cabelo, ou essas coisas faciais: “Lá estão vocês aí de novo, passando graxa de carroça!!!! É isso que envelhece, sabia?? Essa preocupação toda…”

É, pai, concordo. Preocupação excessiva piora tudo, inclusive nos faz envelhecer e enrugar e ficar mais chatos e insones mais cedo!!! Mas até hoje nunca havia me preocupado com nada disso, e mesmo assim…afinal, o tempo é implacável. Assim como o sol. Quanto mais barreiras colocarmos entre nós e eles, melhor 😉 Ah, e pai…não tente disfarçar, hoje eu vi sua carinha de satisfação ao passar silicone, digo, graxa de carroça!, nos próprios cabelos…deixa muito mais macio do que sabonete, né? 😉

Anúncios

Um pensamento sobre “…e daí que fiquei mais velha (ou: passando graxa de carroça!)

  1. […] graxa de carroça (2) Ontem escrevi sobre minha iniciação no mundo dos cremes e afins *rsrsrs* Mas me sinto na obrigação de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s