Livros esculturais (ou: deus me livre, a missão!)


(poxa, dá pena de estragar livros assim, a não ser caso eles já estejam arruinados além de qualquer reparação…ou se forem “obras primas” estilo Paulo Coelho, aí sim, eu faria esse tipo de coisa com prazer! *rsrsrsrsrs* Essas fotos curiosas vieram daqui – exceto as do Brian Dettmer, que vieram daqui, óbvio! E a do polvo e da Alice não me lembro de onde peguei, sorry…). Já sabem: basta clicar nas fotos para vê-las no tamanho original (normalmente são bem maiores, mas algumas infelizmente não…). Ah, e se gostam de livros, lembrem-se de visitar o outro post a este respeito, com wallpapers e árvores de Natal feitas de livros *rs*

Guy Laramee já trabalhou como escritor, diretor, compositor, fabricantes de instrumentos musicais, cantor e escultor. Entre seus trabalhos esculturais há duas séries de livros escavados com paisagens: Biblios e The Great Wall, nas quais densas páginas de livros velhos são transformadas para revelar montanhas serenas, platôs e outros cenários idílicos.

The Great Wall

Having recently overthrown the American Empire in the 23rd century, the Chinese Empire set out to chronicle the history of the Great Panics during the 21st and 22nd centuries.

This Herculean undertaking resulted in a historiographical masterwork entitled, The Great Wall. Comprising 100 volumes, this encyclopaedia derives its name from The Great Wall of America, a monumental project to build an impregnable wall around the United States of America so as to protect this land from barbarian invasions. 150 years in the making, this wall ultimately isolated Americans from the rest of the world while sapping the country’s remaining cultural and natural resources. It also undermined the American people’s confidence in systematized hedonism, thus hastening the fall of the American Empire. As we now know this paved the way for China to invade American territory.

The Chinese Empire later ordered a group of scribes to write The Great Wall series. In the course of their duties they familiarized themselves with the libraries of the former USA. Through a strange twist of fate they thereby discovered the ancient sources of their own civilization which the new Middle Kingdom had long ago removed from its libraries. In the end this contact, primarily with Taoism and Chan (Zen) Buddhism, sowed the seeds of the Chinese Empire.

There’s nothing to fear but…(fear itself?)

detalhe da there’s nothing to fear, feita com livros de bolso:

E já que o assunto é livro, não pude deixar de incluir aí embaixo uma estante bem legal 😀

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s